Dilatação/Torção Gástrica

A torção de estômago é definida por"alteração anatômica no posicionamento dos órgãos digestivos, que ocorre com mais freqüência em cães de peito profundo - entre as idades de 2 a 10 anos (embora possa ocorrer em animais tão novos como com seis meses) - e raramente em cães de raças pequenas".
De uma forma  mais simples, é a rotação do estômago sobre si mesmo. Acontece, muitas vezes, devido a uma dilatação gástrica que pode ser causada por aerofagia (deglutição exagerada de ar, resultante da ingestão apressada de alimentos.
Outro sinal que pode ocorrer é a expulsão do líquido e alimentos, misturados a substância mucóide (muco) espumosa. Se não for tratada imediatamente, a dilatação pode evoluir para torção gástrica.                              




A rotação do estômago dá-se inicialmente no piloro e antro pilórico. Ela passa do lado ventral direito do abdômen - rodando sob o estômago - e repousa dorsalmente sobre o cárdia no lado esquerdo.

Essa torção pode bloquear parcial ou totalmente a drenagem estomacal (saída de alimentos do estômago). No seu grau máximo de gravidade, chega a provocar obstrução dos gazes, aumentando o volume do órgão. O resultado é necrose (morte de tecido) por estrangulamento da parede estomacal e órgãos vizinhos.




Mais importante do que a explicação é saber que se trata, acima de tudo, de uma emergência veterinária e cirúrgica com alto índice de mortalidade. Raças grandes como Borzoi, Dobermann, Dogue Alemão, Fila Brasileiro, Pastor Alemão, São Bernardo, Setter Irlandês, Weimaraner e outras, por ser mais suscetíveis a ela, requerem cuidado redobrado.
Os sinais clinicos mais comuns são:distensão abdominal com timpanismo (gazes), ânsia de vômito não produtiva, pulso fraco, salivação intensa, dificuldade respiratória, mucosas pálidas, aumento da freqüência cardíaca, inquietude.

O atendimento veterinário deve ser feito o quanto antes. A evolução é extraordinariamente rápida, dolorosa e fatal (morte pode ocorrer em menos de 3 horas após o início dos sintomas). Por ser de extrema gravidade, a prevenção é a melhor medida de combate à torção gástrica.
Assim sendo para prevenir esta patologia: não dê alimentos em grandes quantidades, divida as refeições, evite rações com pouca fibra, evite rações com alta fermentação (ricas em carboidratos, por exemplo, amido não degelatinado), não permita que o animal ingira grandes quantidades de água de uma só vez, inclusive durante as refeições, evite exercícios violentos após as refeições.

Drº Ricardo Baptista, Director Clinico da CVST – Centro Veterinário de Santo Tirso e Centro Veterinário de São Tomé

 


create counter