O que é o microchip?

É um dispositivo electrónico do tamanho de um bago de arroz, coberto por um vidro bio-compatível e que contém um código único e inalterável, traduzível por um número que identifica o animal para toda a vida.
O microchip é introduzido sob a pele do animal através de uma injecção indolor, na face esquerda do pescoço. A identificação electrónica pode ser feita em qualquer idade. Após a aplicação, o médico veterinário deve certificar-se da sua correcta localização, fazendo a leitura com o leitor próprio para microchips.
Após a aplicação do microchip, o médico veterinário preenche um formulário com os dados completos do animal e do proprietário, sendo este enviado para uma base de dados nacional (SIRA ou SICAFE).

 

 

Desde 1 de Julho de 2004, é obrigatória a identificação de todos os cães:

- Perigosos ou potencialmente perigosos (definidos em legislação específica);
- Utilizados em actos venatórios (cães de caça);
- Em exposição, para fins comerciais ou lucrativos, em estabelecimentos de venda, locais de criação, feiras, concursos, provas funcionais, publicidade ou similares.

Quais as vantagens do microchip?

A identificação electrónica de animais de companhia detém actualmente um papel extremamente importante no controlo de questões sanitárias, jurídicas e humanitárias:

- Facilita a localização de animais desaparecidos;
- Identificação inequívoca em caso de roubo;
- Responsabiliza o dono pela saúde e bem-estar animal;
- Controlo de comércio e utilização de pequenos animais;
- Permite a contagem estatística do número, espécies e raças de animais em Portugal.

O que fazer em caso de furto ou perda do seu cão / gato?

Contacte as clínicas veterinárias da zona e canis municipais e forneça a descrição pormenorizada do animal e número do microchip.

Contacte as bases de dados existentes em Portugal:

SIRA
SICAFE
  

 

Drº Ricardo Baptista, Director Clinico da CVST – Centro Veterinário de Santo Tirso / Centro Veterinário de São Tomé.

create counter